Tarde de outono

 

 

Quando saio em busca de minhas respostas, entre as avenidas das

 

lembranças encontro-te.

 

De menino se fez homem, olha para dentro de meus olhos e pede-

 

me que me entregue

 

 Se antes o medo dominava-me, agora faço teus desejos, palavras jogadas frente ao oceano,

 

 olhos picantes e, logo depois, adentras a meu castelo.

 

Tira-me o fôlego, com teu beijo, ao tentar fugir de ti corro ao

 

Banho, e me persegues nu, em um jogo de sedução começamos

 

trocar caricias, com a água que bate em nossos corpos

 

entrelaçados

 

Beijos profundos...

 

  Tua boca a roçar cada pedacinho de meu corpo, fazendo-me senhor sobre ti,

 

 nesta entrega alucinante sem limites.

 

Lençóis jogados, beijos profundos, a entrega...

 

 Olhos de esmeralda,

 

tuas palavras de amor, a realização de dois seres antes separados

 

pela duvida...

 

Ah! Esta tarde como esquecer, mesmo que o vento venha, que as

 

tempestades habitem meus dias, a lembrança de nosso encontro

 

sempre será mais forte, momento único de magia tesão entrega de

 

nosso néctar.

 

Ao tempo, agora caberá a continuação da historia, que mesmo que

 

tenha ficado só nesta tarde de outono já marcastes minha alma

 

pelo teu gosto safado de ser.

 

Cristal solitário