Silencio da alma

 

 

Sonhos transformados em pesadelo, o carinho tomado pelo descaso, as lembranças apagadas

 

Se em dias me oferecestes o sorriso, a alegria do viver tira-me de uma só vez com a lamina profunda da maldade

 

A mascara que utilizavas cai entre as trevas de sua insignificância,

 

a tua pele antes a ofertar-me o balsamo agora exala o odor da sua ignorância

 

O amor prometido tomado pela dura realidade de sua falsidade

 

Dos castelos e sonhos transformados em barracos rodeados pelas trevas de teus atos insanos

 

Tua passagem marcou-me a alma, silenciou meu coração me fez derrotado frente ao amor

 

amadureceu-me para poder prosseguir

 

Silencio por vez fecho meu coração, as palavras se vão, neste instante de e dor a tomar-me por inteiro

 

Não  mereces  minhas lagrimas, mas ainda és forte perante mim

 

Ah dor esta que provocastes, enfim rompe-se o cristal

 

 

Cristal Solitário