Devagarzinho

 

Com minha língua vou roçando teu corpo, que treme aos meus carinhos...

 

Passo pelas pernas  e te vejo  a se contorcer entre os lençóis

 

Nossos corpos entrelaçados, o sol a penetrar em nossas siluetas, entregues a este amor sem limites e devagarzinho,

 

 vou pouco a pouco penetrando em teu ser

 

 sentindo teu sabor

 

 jogando-me neste poço de puro êxtase!

 

Nesta noite de encontro de almas, juras intermináveis ,olhares trocados ,sussurros sem controle...

 

 Nossos corpos fazem a maestria do amor bandido,

 

 sem domínio de nossos vulcões, sem medo de ser feliz,

 

 fechamos as janelas do tempo e nos tornarmos estrelas diante da noite mágica!

 

Cálices de vinho, morangos, velas aroma de jasmins ...

 

Penumbra, lençóis jogados, e  agora a fantástica magia do amor que domina nossas veias...

 

Devagarzinho,

 

 como se não quiséssemos perder nenhuma gotícula deste  espetáculo,  testemunhado pelo universo!

 

Cristal Solitário