Até quando...

 

 


Nestes novos tempos que a mim se apresentam os ventos

busco entre o que passa frente a meus olhos

que alguém perceba que eu cansado de ser protetor, busco proteção,

exausto de tanto oferecer colo, busco agora

eu o quero para entregar-me como pequeno
Se fui forte para ao meu redor construir castelos

vejo-me fraco agora, que a lágrima solitária roça a face

ao notar que a tarde se vai e o frio chega. Olho para os lados e nada...
Logo será o momento do jantar, lanche, ou algo qualquer

enquanto muitos acompanhados estarão

estarei eu frente a mesa vazia

Ao redor de mim um mundo que antes era mágico

e um castelo lindo de paz, leveza e aroma bom,

se tornou sem o brilho que antes existia

falta-me aquele que me inspirou desenhar tudo ao meu redor.
Agora vou buscar na companhia das estrelas meu acalento,

na lua minha inspiração, na noite meu aconchego

preparar-me mais uma vez para o sono

 na esperança de um dia acordar

e ver que enfim  que não estou mais só...

Ao meu lado estará meu anjo picante a zelar por mim!

 

Cristal Solitário

"Poeta dos Sonhos"