Procuro

 

Aonde esta a decência daquele que me pede a confiança, promete-me um novo pais.

 

cuidar de meus pequenos, fazer de meus dias mais felizes?

 

Aonde esta aquela liberdade que eu sentia?

 

Aquela sensação de que poderia confiar em quem havia escolhido...

 

Aonde enfim, está o homem que saberá governar, pensando somente na renumeração

 

justa de seu salário?

 

 Onde estará aquele que ira transformar nossos impostos em educação saneamento,que

 

vai olhar meus pais como eu olho,

 

que vai respeitar esta grande casa que o abriga,e que lhe entrega tal poder de decisão.

 

Hoje, meu povo em nada mais crê os discursos inflamados, muitas das vezes criados por

 

assessores que pensam e projetam aquilo que o povo carente deseja ouvir!

 

Logo depois, conquistado o objetivo, todos deixados para trás, esquecidos ao Léo...

 

As promessas batem em faltas de recursos e em um jogo de mentiras, o antes aliado

 

legislador ataca o executivo e este vice e versa, quando vão deixar de pensar que somos

 

palhaços para ver que somos cidadãos?

 

 

Cristal Solitário

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Livro de Visitas
Menu Poesias