Dor estranha,

 

Que dor é esta que me toma o corpo dilacera minha alma,

me faz fraco, jogando-me a margens da solidão.

Que dor é esta capaz de tirar minha respiração

fazer-me de vivo me sentir zumbi,

que dor é esta que faz com que cada lagrima a roçar a face

seja tão pesada que penetre em meu sangue.

Que dor é esta que me faz covarde perante os obstáculos

 entregando-me sempre sem esboçar nenhuma reação.

Que dor é esta que me faz ficar entre as sombras do bosque,

enquanto lá fora corre a luz a minha procura...

Ah esta dor agora sei qual é...

É a dor de não ter-te em meus braços ,

e a dor da distancia,

é a dor do seu desprezo meu anjo picante!

 

 

Cristal Solitario

POETA DOS SONHOS