Um Anjo



Veio todo de branco
No semblante trazia um ar sereno
Em suas palavras, um tom ameno
De quem quer confortar um coração
Sofrido por não compreender
Uma partida silenciosa...
Numa decisão repentina
Quebrou suas próprias asas
Pois não desejava mais voar
Não pensou porem
Que seu gesto inesperado
Levasse a tantos o desespero
Acordando tempo depois
Sem muito entender
Sentiu em seu intimo
Que partiu, sem nada dizer
Olhando ao seu redor
Procurando uma saída, sem nada encontrar
E neste momento, este anjo de asas quebradas
De joelhos, começou a chorar
Pediu perdão pelo ato cometido
Mas explicou que na “terra” não queria permanecer
Porém a escuridão lhe era dolorida
Sem o colo da mãe para lhe aquecer
A Paz era o que pretendia
Novamente olhando ao seu redor
Uma lágrima escorreu
Anjos estavam lhe amparando
Para levá-lo ao Céu!
Diante de tal acontecimento
Mais um pedido realizou
Siga mamãe, com sua coragem
Mantendo a serenidade
Pois orgulhoso de ti estou.

IaraMel
Iara A. Máximo Melchor
09/06/09
IaraMel
Publicado no Recanto das Letras em 09/06/2009
Código do texto: T1639236