Em delírio!

 

E quando os olhos se fecham

Nada junta o que rasgou no peito

Um amor sem jeito

Um desejo insatisfeito...

Esta sensação de vazio

Um coração aflito...

Os olhos cerrados ainda

Alimentam esta fantasia

Um corpo que implora aos poucos

Um adormecer em tuas caricias...

O imaginar do beijo

O sentir do desejo

Faz-me inflamar!

Não, não há nada que possa fazer este tempo parar

Não há saída para quem ama insanamente

Um amor inconseqüente

De quem se entrega sem pensar...

È tanto sentir, é tanto amar

Que fico a imaginar

Existe será?

Ou somente meu coração a fantasiar?

Enquanto em delírio sinto tuas mãos

Uma lagrima solitária escorre pela face

Fazendo-me lembrar que esta fantasia

Hoje se tornou só um lamento...

Um só lamento!

 

Iaramel

03/03/09